Desde: 01.06.2011

Desde: 01.06.2011
BOM LEMBRAR: André Luiz - ‘Os Mensageiros’: “O que nos deve interessar, todavia, é a semeadura do bem. A germinação, o desenvolvimento, a flor e o fruto pertencem ao Senhor.” (Paulo e Estevão. Emmanuel/JC): “O valor da tarefa não está na presença pessoal do missionário, mas no conteúdo espiritual do seu verbo, da sua exemplificação e da sua vida”. Emmanuel: “O tédio é sempre filho da incompreensão dos nossos deveres.”. “[...] o desencanto constitui-se um veneno da imprevidência e da irresponsabilidade”. “[...] valiosa é a escassez, porque traz a disciplina. Preciosa é a abundância porque multiplica as formas do bem”. “[...] a permanência na terra decorre da necessidade de trabalho proveitoso e não do uso de vantagens efêmeras”. “Jamais atingiremos nossos objetivos torturando chagas, indicando cicatrizes, comentando defeitos ou atirando espinhos à face alheia. Compreensão e respeito devem preceder-nos a tarefa em qualquer parte.” (Emmanuel) "Tudo que a doutrina espirita me ensinou é que precisamos nos renovar sempre." (Chico Xavier).

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Em Chapecó, Seminário Jurídico sobre a Reforma Trabalhista orienta as bases para enfrentamento





Evento no município catarinense acontece no dia 17 de novembro e é voltado aos advogados das entidades de todo o estado



O Seminário Jurídico sobre a Reforma Trabalhista também será realizado em Santa Catarina. Desenvolvido pelo corpo jurídico da Central dos Sindicatos Brasileiros para capacitar os advogados das entidades filiadas à CSB, a edição catarinense acontecerá em Chapecó.
Com o objetivo de discutir os efeitos da Lei 13.467/17 e os caminhos políticos, organizacionais e jurídicos a serem tomados para evitar e combater as fraudes, além de manter os direitos trabalhistas consolidados pela CLT, o encontro é voltado exclusivamente aos advogados das entidades filiadas à Central em Santa Catarina e será realizado no dia 17 de novembro.

O Desembargador do TRT-22ª Região, Meton Marques, doutor em direito, autor jurídico e professor universitário, integrante da EXCOLA (Excelência em Formação Social), apresentou os dispositivos relacionados ao Direito Material do Trabalho.



Clovis Renato Costa Farias, doutor em Direito, advogado sindical e professor universitário, membro da EXCOLA, apresentou o Direito Processual do Trabalho e o Direito Coletivo.

Seminário Jurídico sobre a Reforma Trabalhista
Data: 17 de novembro
Local: Sindicato dos Bancários de Chapecó – Rua Porto Alegre, 619-D – Centro – Chapecó/SC
Horário: das 8h30 às 18h10

Reforma trabalhista: Anamatra divulga íntegra dos enunciados aprovados na 2ª Jornada


Íntegra dos enunciados: http://www.jornadanacional.com.br/listagem-enunciados-aprovados-vis1.asp
A Anamatra divulgou nesta quinta-feira (19/10) os 125 enunciados aprovados (58 aglutinados e 67 individuais) sobre a interpretação e aplicação da Lei  13.467/2017 (reforma trabalhista). As propostas de enunciados foram debatidas e aprovadas na 2ª Jornada de Direito Material e Processual do Trabalho, evento promovido pela Anamatra, em parceria com outras entidades, que reuniu mais de 600 juízes, procuradores e auditores fiscais do Trabalho, além de advogados e outros operadores do Direito que, divididos em oito comissões temáticas, debateram mais de 300 propostas sobre a nova norma. Os enunciados podem ser conferidos no hotsite da jornada.

STF e a jornada 12x36


ADI 4842 / DF - DISTRITO FEDERAL
AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE
Relator(a):  Min. EDSON FACHIN
Julgamento:  14/09/2016           Órgão Julgador:  Tribunal Pleno
Publicação
PROCESSO ELETRÔNICO
DJe-174  DIVULG 07-08-2017  PUBLIC 08-08-2017
REQTE.(S)  : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA
INTDO.(A/S)  : PRESIDENTE DA REPÚBLICA
INTDO.(A/S)  : CONGRESSO NACIONAL
ADV.(A/S)  : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO
AM. CURIAE.  : SINDICATO DOS TRABALHADORES BOMBEIROS PROFISSIONAIS CIVIS DO DISTRITO FEDERAL - SINDBOMBEIROS/DF
ADV.(A/S)  : YURE GAGARIN SOARES DE MELO E OUTRO(A/S)
AM. CURIAE.  : SINDICATO DOS BOMBEIROS PROFISSIONAIS CIVIS DAS EMPRESAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO DE SÃO PAULO - SINDIBOMBEIROS/SP
ADV.(A/S)  : PRISCILA TASSO DE OLIVEIRA
AM. CURIAE.  : SINDICATO DAS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE BRIGADA DE INCÊNDIO E INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - SINESB-RJ
ADV.(A/S)  : HAMILTON BRAGA SALLES
Ementa
EMENTA: DIREITO DO TRABALHO. JORNADA DO BOMBEIRO CIVIL. JORNADA DE 12 (DOZE) HORAS DE TRABALHO POR 36 (TRINTA E SEIS HORAS) DE DESCANSO. DIREITO À SAÚDE (ART. 196 DA CRFB). DIREITO À JORNADA DE TRABALHO (ART. 7º, XIII, DA CRFB). DIREITO À PROTEÇÃO CONTRA RISCO À SAÚDE DO TRABALHADOR (ART. 7º, XXII, DA CRFB). 1. A jornada de 12 (doze) horas de trabalho por 36 (trinta e seis) horas de descanso não afronta o art. 7º, XIII, da Constituição da República, pois encontra-se respaldada na faculdade, conferida pela norma constitucional, de compensação de horários. 2. A proteção à saúde do trabalhador (art. 196 da CRFB) e à redução dos riscos inerentes ao trabalho (art. 7º, XXII, da CRFB) não são “ipso facto” desrespeitadas pela jornada de trabalho dos bombeiros civis, tendo em vista que para cada 12 (doze) horas trabalhadas há 36 (trinta e seis) horas de descanso e também prevalece o limite de 36 (trinta e seis) horas de jornada semanal. 3. Ação direta de inconstitucionalidade julgada improcedente.

MP nº 808/2017 que altera a Lei nº13.467/2017 (Reforma Trabalhista)




Presidência da República

Casa Civil

Subchefia para Assuntos Jurídicos
MEDIDA PROVISÓRIA Nº 808, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2017.

Exposição de motivos

Altera a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943.

O  PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:
Art. 1º  A Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto- Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, passa a vigorar com as seguintes alterações:

A “reforma” já era – Parte V: MP 808, a balbúrdia total! (Jorge Luiz Souto Maior; Valdete Souto Severo)


(Autor da ilustração acima: Maurits Cornelis Escher)
Na série “A ‘reforma’ já era”, que agora atinge o seu quinto título, o esforço tem sido o de demonstrar que a “reforma” trabalhista está fadada a ser destruída pelos seus próprios defeitos, que vão se revelando a cada instante e de forma ainda mais grave.
Com a MP 808, publicada em edição especial do Diário Oficial da União, em 14 de novembro de 2017, a mesma questão se repete, restando evidenciado, de uma só vez, que:
a) o projeto de lei da “reforma” trabalhista não foi elaborado com o mínimo cuidado técnico, não foi embasado em estudos, avaliações, pesquisas e projeções; não foi fruto de reivindicação popular; e não foi precedido de com os setores diretamente interessados;
b) a lei que resultou do projeto é, por isso, confusa, contraditória e não confiável mesmo para os empregadores que a pretendam aplicar buscando melhor eficiência produtiva ou, simplesmente, para obterem maior margem de lucro;
c) o resultado das alterações legislativas revela ausência de compreensão do alcance jurídico do que foi escrito e despreocupação gramatical ou mesmo com a lógica;
d) a lei foi impulsionada por prática não democrática, tanto que se tenta, agora, pela mesma lógica, por meio de Medida Provisória, impor mudanças na lei;
e) há soberba na elaboração da lei, tal como agora, na edição da MP, também elaborada em desprezo à ordem constitucional;
f) a soberba dos patrocinadores da lei foi ao ponto de manterem reféns as instituições responsáveis pela elaboração das leis brasileiras, a Presidência da República, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, sendo que tais instituições, para levarem adiante, de forma acelerada, a agenda do capital financeiro internacional, estão descumprindo, extrapolando ou terceirizando as suas funções;
g) a pressão para o advento de uma MP com tamanha abrangência explicita a inconformidade com relação à resistência constitucional anunciada no seio do Poder Judiciário trabalhista, que demonstrou sua indisposição para ceder aos comandos do poder econômico.
Estamos, desde o início, falando que a Lei nº 13.467/17 é repleta de inconsistências, inconstitucionalidades e inconvencionalidades e os defensores da lei diziam que manifestações neste sentido eram atos de rebeldia ou de boicote; que a lei estava pronta e acabada, e que o passo seguinte era apenas o da sua aplicação e ponto.
Pois muito bem, a MP 808 prova que estávamos certos, pois, à guisa de reparar erros, foram introduzidas 85 (oitenta e cinco) modificações na Lei nº 13.467/17.
Ou seja, segundo reconhecido na MP 808, a Lei nº 13.467/17 era mesmo inaplicável.
Além disso, a MP 808 contrariou posições que vinham sendo publicamente manifestadas por defensores da lei quanto, por exemplo, aos termos e limites da parametrização da reparação (antes mal denominada “indenização”) por dano extrapatrimonial.
As modificações, inclusive, foram baseadas em muitos dos argumentos apresentados pelas avaliações críticas ao conteúdo da Lei nº 13.467/17, muitos deles expressos nos Enunciados aprovados na II Jornada da Anamatra, instituição que foi dura, indevida e injustamente criticada por repetitivos e inconsistentes editoriais de jornais de grande circulação.
Enfim, onde estão agora os tais defensores da Lei nº 13.467/17 que diziam que lei é para ser aplicada e que vieram a público para dizer que os juízes estavam cometendo ato de “desobediência civil” ao apontarem as impropriedades da lei?
Pedirão desculpas?
Não é necessário. Basta que enfiem a viola no saco!
Fato é que não demorou nem 05 cinco dias para que um pouco da verdade viesse à tona.
Dissemos um pouco porque, de fato, o número de acertos que se tentou fazer está longe de representar a totalidade dos problemas que a Lei nº 13.467/17 tinha e ainda possui.
E a vigilância se faz necessária porque os defensores da “reforma” – que pouco se importam sequer em saber o que está efetivamente dito na lei – não assumirão publicamente que estavam errados, não pedirão desculpas e ainda virão com o argumento de que os acertos necessários foram feitos e, agora, é “só aplicar”.
O problema, meus caros, é que em vez de atingir o objeto de tonar a lei aplicável, a MP 808 só conseguiu piorar as coisas, criando uma espécie de balbúrdia jurídica total, podendo-se prever até mesmo que alguns dos defensores da “reforma” possam, agora, se colocarem contra o texto normativo inscrito na MP, considerando que ela, em alguns aspectos, foi um retrocesso. Talvez preconizem que as normas sejam interpretadas ou requeiram novas modificações, inaugurando-se um círculo sem fim, cada vez mais complexo.
Com a MP 808/17 só se conseguiu dar vazão ao dito popular de que nada é tão ruim que não possa ser piorado, ainda mais se pensarmos que com a tramitação da MP no Congresso é possível propor alterações no seu texto. E dada a sua abrangência, essas alterações poderão colocar em discussão praticamente toda a “reforma”, sendo que, enquanto isso, a MP provisória continuará produzindo efeitos jurídicos, embora incertos.
Fato é que se conseguiu instaurar o estágio pleno da insegurança jurídica.
E se antes era um desafio conseguir aplicar a lei, agora é completamente impossível.
Senão vejamos.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Donald Trump (biografia)


Lançamento: Ler Marx (Robert Kurz) na Sede da ADUFC dia 16.11, às 18h30min



O ser humano tem sempre o defeito de poder pensar. Assim, esta edição está ainda ligada a uma vaga esperança de procurar alimento espiritual para um movimento social que ainda está a dormitar no regaço do futuro próximo. É a esperança de que exista já hoje uma multidão de pessoas que, apesar de todos os discursos sobre a “falta de alternativas” à ordem mundial dominante, estão fartas do capitalismo e das suas exigências loucas.

(Do livro Ler Marx! Os textos mais importantes de Karl Marx para o século XXI – Editados e comentados por Robert Kurz)

domingo, 12 de novembro de 2017

Tentar é começar a fazer - Renato


Stan Lee (Biografia)


Campos/RJ: CDL debate a reforma trabalhista com juristas




Desembargador diz em Campos que a Reforma Trabalhista é uma hecatombe


 


Advogados e contadores lotaram o auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Campos, nesta sexta-feira (10), para participarem de um seminário que debateu a Reforma Trabalhista que passa a vigorar no pais a partir deste sábado (11). Promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde, o evento teve como um dos palestrantes o desembargador Meton Marques que classificou a Reforma como uma hecatombe trabalhista.







“Quando conheci não acreditava que esse processo chegasse ao final. Mas passou pela Câmara como um suspiro, de costas para o povo, uma hecatombe trabalhista”, afirmou o desembargador. Para ele, a Lei que criou a Reforma Trabalhista tem um resquício de ódio de uma classe contra a outra. Meton Marques presidiu o Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região no Piauí.


Mas as críticas a Reforma Trabalhista não pararam por ai. Durante o seminário o especialista em direito e processo do trabalho, Clóvis Renato Costa disse que o trabalhador passa a ficar numa condição frágil diante do patrão. Já a presidente regional da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Bárbara Costa, diz que os trabalhadores que entrarem no mercado a partir de agora “não terão futuro”.


O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde, Carlos Morales, disse que “a Reforma fará o Brasil de hoje bem diferente do de ontem, e os trabalhadores são os maiores prejudicados”.
Promoção Excola, CSB e Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Instituições públicas e privadas vão debater transição para a Reforma Trabalhista


MPT-CE discute a lei que entra em vigor dia 11 de novembro, a fim de prevenir irregularidades
Procuradores, magistrados, auditores fiscais, representantes sindicais (de empregados e empregadores) e advogados vão se reunir dia 09 de novembro, na sede do Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE), a fim de debater o processo de transição para a Reforma Trabalhista prestes a entrar em vigor. O workshop institucional é gratuito e aberto ao público. O objetivo é reunir elementos para nortear a atuação das instituições encarregadas de aplicar o Direito do Trabalho. As inscrições vão até 06 de novembro, por meio de formulário eletrônico disponível no site do MPT.
Para o procurador-chefe no MPT-CE, Francisco José Parente Vasconcelos Júnior, há muitas dúvidas entre empresários, sindicatos e trabalhadores sobre a aplicação da Lei. "Cabe às instituições públicas dialogar com a sociedade e discutir temas que possam afetar sua atividade e sua rotina", pontua.

Sindicatos debatem impactos da Reforma Trabalhista


 


Representantes de centrais sindicais estiveram reunidos nesta quinta-feira (5), na sede do Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE), para discutir os impactos da Reforma Trabalhista que entrará em vigor a partir de 11 de novembro. Também participaram do encontro advogados, magistrado, servidores públicos e integrantes do Grupo de Estudos e Defesa do Direito do Trabalho e do Processo Trabalhista (Grupe), da Universidade Federal do Ceará.

O procurador regional do Trabalho Gérson Marques conduziu as discussões e defendeu a exigência, por parte dos sindicatos, da regulamentação das jornadas e tempo à disposição, nas convenções coletivas de trabalho. Da forma como está, trata-se de um contrato sem garantias e com obrigações unilaterais. O profissional fica condicionado à convocação pelo empregador, sem saber o valor que receberá em determinado período de trabalho. “Trabalhadores do comércio e atividades relacionadas ao turismo devem ser os mais afetados”, avalia o procurador.

O Juiz do Trabalho Germano Siqueira chamou atenção para o que classificou como “o desmonte” da Consolidação das Leis Trabalhistas. “As alterações da CLT são gravíssimas. Os próprios parlamentares não compreendem o que foi alterado, tampouco fazem ideia dos impactos que as mudanças trarão para a sociedade”, ressaltou. “O processo político desmontou a CLT, que deixou de defender o trabalhador”, resumiu.

Entre os impactos que a Lei 13.467/2017 trará à Justiça do Trabalho, o procurador citou a homologação de acordos extrajudiciais nas Varas Trabalhistas. Até então, tal atribuição cabia aos sindicados, para garantir aos trabalhares o recebimento das verbas rescisórias entre outros direitos.

Os representantes sindicais se mostraram apreensivos com a Reforma Trabalhista e demonstraram a intenção de criar mecanismos de resistência às novas regras, além de buscar alternativas ao financiamento sindical. O Procurador salientou a importância da reunião para que o MPT possa compreender as expectativas das representações de trabalhadores, antecipando-se às possíveis denúncias, provocações e questionamentos que possam surgir.

O encontro foi realizado pelo MPT-CE em parceria com o Fórum das Centrais Sindicais no Estado do Ceará (FCSEC).

Assessoria de Comunicação MPT-CE

Reforma trabalhista é foco em curso de capacitação



Curso de formação aos setores pessoais, recursos humanos, empresários e advocacia patronal no Ceará, oferecido pela Polis Educacional, ministrado pelo Professor e Advogado Clovis Renato Costa Farias ocorreu no início de novembro de 2017, para tratar sobre a Reforma Trabalhista proposta pela Lei nº 13.467/2017.

ESP realiza curso sobre Reforma Trabalhista



A capacitação ocorreu para tratar sobre Relação de trabalho (normas regulamentadoras/mudanças na CLT), com o advogado e professor universitário Clovis Renato Costa Farias, para os profissionais da saúde responsáveis pelos CERESTs e também pela notificação de doenças relacionadas ao trabalho.

A participação do professor Clovis foi viabilizada após o convite do professor Edenilo Baltazar Barreira Filho, Supervisor do Núcleo de Vigilância Ambiental – NUVAM, Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde – COPROM.
O evento se insere na busca da capacitação e conscientização social de profissionais de saúde desenvolvido nos 24 anos de fundação da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), instituição vinculada à Secretaria da Saúde (Sesa).

Por meio de cursos da ESP, profissionais de saúde do Ceará são formados em residências médicas e multiprofissionais, e tem acesso a especializações nas áreas de Gestão, Desenvolvimento Educacional, Atenção e Vigilância em Saúde.
Também são ofertados, na Escola Profissionalizante, cursos de nível técnico, como Técnico em Enfermagem, Técnico em Saúde Bucal, Técnico em Radiologia e Técnico de Agente Comunitário de Saúde.
Em 24 anos, a ESP já formou 113.137 profissionais: 75.303 formados nos cursos livres, 5.965 na pós-graduação e 31.869 nos cursos profissionalizantes. De 1993 até este ano, 569 cursos foram realizados pela Escola de Saúde Pública do Ceará, sendo 505 livres, 43 pós-graduação e 21 profissionalizantes. Só este ano, a ESP/CE já soma 49 cursos livres, cinco especializações e três profissionalizantes. Um total de 57 cursos.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

O consolador prometido, a terceira Revelação: o Espiritismo

EIS O MOTIVO DE CRERMOS QUE O ESPIRITISMO É O CONSOLADOR PROMETIDO, A TERCEIRA REVELAÇÃO, UMA VEZ QUE MOISÉS APRESENTOU A PRIMEIRA COM O ANTIGO TESTAMENTO, JESUS E O EVANGELHO CUMPRIRAM A SEGUNDA REVELAÇÃO... O ESPÍRITO DE VERDADE TROUXE A TERCEIRA AO DITAR O ESPIRITISMO.
VEJA O EVANGELHO:
15 Se me amais, guardai os meus mandamentos.
16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;
17 O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.
18 Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós.
19 Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis.
20 Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.
21 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele. (JOÃO, XIV, VERSÍCULOS 15-18)

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Assédio Moral nas relações de trabalho (CSB no RS - Gramado): Clovis Renato


SP Congresso da CSB: Sindicatos fortes, Brasil mais justo


Palestra Assédio Moral nas relações de trabalho - Prof. Clovis Renato (advogado sindical, professor universitário)

São Paulo recebe o Congresso Estadual da CSB dos dias 24 a 27 no Wyndham Garden Convention Nortel, Av. Luiz Dumont Villares, 400 – Santana, na capital paulista.

Durante a abertura do Congresso em São Paulo, Antonio Neto também destacou a necessidade de fortalecer as representações sindicais em prol da classe trabalhadora. O presidente da CSB analisou o momento político, econômico e social do País e preocupou-se com a crise ética e moral que assola os brasileiros.

“Passamos por uma reforma na legislação trabalhista. Ainda não sabemos todos os efeitos, mas uma coisa é certa – nunca antes nesse Brasil os trabalhadores precisaram tanto dos seus sindicatos como vão precisar a partir de 11 de novembro. Tentaram fazer uma reforma para destruir os direitos da classe operária. A partir de agora nossa missão é encontrar um antídoto e fortalecer os sindicatos, que é a célula mater do movimento sindical”, defendeu o dirigente.

Para Antonio Neto, a resposta aos ataques do Congresso Nacional contra os trabalhadores deverá vir nas urnas em 2018. “A verdade é que o voto tem um valor incomensurável. Temos um compromisso, que é eleger representantes comprometidos com os trabalhadores. Nesses três dias de formação teremos um aprendizado muito grande para o enfrentamento. Por isso esse congresso é importante”, completou.

Representatividade

Modificar o cenário nacional e expandir a representatividade da classe trabalhadora no Congresso Nacional, na Assembléia Legislativa e no Senado Federal é imprescindível segundo o vice-presidente da CSB, José Avelino Pereira (Chinelo).

“O Brasil precisa mudar. Precisamos ter a representação necessária para votar as propostas dos trabalhadores. E não existe transformação que não seja feita através do voto popular”, reafirmou o coordenador da CSB/SP.

Em defesa da democracia, Alvaro Egea, secretário-geral da CSB, reforçou a importância da independência, do desenvolvimento e justiça social, bandeiras defendidas veemente pela Central.

“Não podemos aceitar nenhum tipo de política que visa enfraquecer o nosso sistema democrático, porque os principais atingidos seremos nós, os trabalhadores. Esse encontro é um momento crucial, onde a gente aprofunda o nosso conhecimento e deixa muito claro que para que a luta dos trabalhadores tenha futuro temos que propagar o diálogo e impedir a desmoralização da representação política e sindical”, finalizou.


Também estiveram presentes, na abertura do Congresso Estadual da CSB, o vereador da cidade de São Paulo Adilson Amadeu (PTB/SP), o deputado estadual Caio França (PSB/SP) e o vereador Rivael de Souza (PSB-SP), o Papinha.


Força nacional

O Congresso da CSB em São Paulo encerra uma série de eventos promovidos ao longo do ano. Desde abril, a Central preparou seus dirigentes, promoveu debates importantes e elegeu diretorias regionais para ampliar a luta dos trabalhadores pelo País. Foram realizados congressos em Santa Catarina, Ceará, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Xire dos Orixás



Candomblé (documentário)




Irmã Dulce (documentário)




Umbanda (documentário)



Documentário sobre o livro dos mórmons: o novo mundo


Marcados por Deus: Santa Catarina


Marcados por Deus (São Francisco de Assis)


1984 (George Orwell)


Documentário: Divaldo Franco


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Ajuda: Lábioleporino ou fenda palatina (Operação Sorriso)



Japão: Economia, Cultura e Tecnologia


Chico Xavier fala sobre sua mediunidade e seu sucessor


RS: CSB promove Seminário Jurídico sobre a Reforma Trabalhista





Evento integra as atividades dos Congressos Estaduais e é voltado para os advogados dos sindicatos da base



Com o objetivo de debater a Lei 13.467/17, que trata da reforma trabalhista, a Central dos Sindicatos Brasileiros convida todos os advogados dos sindicatos filiados a participarem do Seminário Jurídico sobre a Reforma Trabalhista.


Desenvolvido e promovido pela CSB, a iniciativa pretende discutir os efeitos da reforma trabalhista e os caminhos políticos, organizacionais e jurídicos a serem tomados para evitar e combater as fraudes e manter os direitos trabalhistas consolidados pela CLT.


O encontro é voltado exclusivamente aos advogados das entidades filiadas à Central e será realizado no último dia do Congresso Estadual do Rio Grande do Sul, que será realizado entre os dias 17 e 20 de outubro.
O curso tem como palestrantes o Dr. Gérson Marques e o Dr. Clovis Renato, integrantes da Excola.
Serviço


Seminário Jurídico sobre a Reforma Trabalhista

Data: 20 de outubro

Local: Hotel Serra Azul

Rua Garibaldi, 152- Centro – Gramado-RS

Horário:08h30

Inscrições: credenciamento@csb.org.br

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Rio Grande do Sul: Congresso Estadual da CSB em Gramado, de 17 a 20 de outubro de 2017



Desembargador Marcelo do TRT-4ª Região D’Ambroso, Advogada Especialista Zilmara Alencar, Advogado e Professor Dr. Clovis Renato, Márcio Carvalho, Prof. Carlos Conce,  Historiador Wendel Pinheiro


Para os quatro dias do evento, que será realizado no Hotel Serra Azul, em Gramado, estão programadas palestras com temas atuais, assim como as mudanças na legislação trabalhista, limites de atuação e insegurança jurídica, a comunicação sindical, negociações e ações coletivas, assédio moral, entre outros temas.

Na sexta-feira, uma atividade dedicada a assessores jurídicos das entidades de classe filiadas à CSB, que participarão do Seminário Jurídico sobre a Reforma trabalhista, com temas sobre os efeitos da reforma e os caminhos a serem tomados para combater as fraudes e manter os direitos trabalhistas consolidados pela CLT.

Ao fim do Congresso, no dia 20, serão eleitos os dirigentes que farão parte da diretoria da Seccional Rio Grande do Sul da CSB.

O advogado Clovis Renato Farias conta por quê. Veja a palestra dele no Facebook. Além de informações, há vídeos de depoimentos muito impressionantes. Confira também a apresentação.



METADE dos brasileiros já sofreram algum tipo de assédio no trabalho e muitas vezes a gente não sabe como lidar. Esse é o tema da palestra ministrada pelo Dr. Clóvis Renato aqui em Gramado, no Congresso Estadual da CSB. Acompanhe, envie suas perguntas!
Revista Isto é!